BLOG PAPO DE BUTECO: FIQUE POR DENTRO

Dia do início da Semana da Cultura Nordestina

Desde que surgimos, levantamos a bandeira da cultura! Sim, a gastronomia é uma das mais incríveis manifestações culturais! A cozinha de raiz então, é a cultura gastronômica no seu íntimo, na sua mais pura tradição!

Aqui no Brasil essa cultura é gigantesca. Já falamos muito sobre a cozinha mineira, mas o Nordeste é uma região culturalmente rica em sentidos amplos, a gastronomia jamais ficaria de fora. Isso porque hoje, marcando a data da morte de um símbolo dessa cultura, Luiz Gonzaga, é comemorado o Dia do início da Semana da Cultura Nordestina.

A cultura  gastronômica nordestina jamais fica esquecida nas edições do Comida di Buteco, por isso mesmo não poderíamos deixar de lembrar desse dia! Até porque, voltando 2 meses atrás, nós estávamos saboreando várias delícias inspiradas na cozinha nordestina. E não foi só no nordeste não, essa influência é gritante em todo o Brasil, contagiado pelos ingredientes e temperos deliciosos da região! Se você ficar com água na boca, não se aperreie não!

Lembram, por exemplo, do buteco Nação Nordestina, em São Paulo, que criou o prato Dona Rosinha, uma tapioca de acerola com carne de panela, creme de queijos e geleia de pimenta!? Uma mistura daquelas!

Nac¦ºa¦âo-Nordestina

Já o baião de dois também marcou presença entre os petiscos, como foi o caso do Bar do Mendes e sua belíssima criação, o Medalhão de frango com bacon e baião de dois com laranja!

Bar-do-Mendes

Salvador representou muito bem! Ficaríamos horas por aqui falando da lista de petiscos que saiu por lá, mas isso vocês conseguem conferir clicando aqui. Por hora, trouxemos essa delícia aqui criada pelo boteco Koisa Nossa (Os Internacionais), o Sapequi Koisa Nossa, um sarapatel daqueles com moela de pequi!

Bar-Koisa-Nossa-Os-Internacionais

E segue a eterna e apetitosa lista aqui no site, com um punhado deles!

Lembram de algum que experimentaram na edição desse ano e que dariam de tudo para experimentar novamente e que tinha esse toque nordestino? Conta pra gente qual era o petisco e em que buteco encontrou!

Um viva à cultura nordestina que presenteou o resto do Brasil com sua genialidade na cozinha e um brinde aos demais botecos, em qualquer lugar do Brasil, que honraram essas receitas!

Os nomes mais excêntricos dos petiscos do Comida di Buteco 2015

Todo mundo concorda que o Comida di Buteco é uma verdadeira atração nas cidades onde acontece e faz os botecos participantes tornarem-se atração também. Então pulemos para o próximo tópico. Tem outro ponto que tem chamado muito a atenção de quem passa pelo Comida di Buteco. Sim, acertou quem pensou logo de primeira nos nomes dos tira-gostos.

Quem não frequentou deve estar se perguntando o motivo.  Responda você mesmo. Já se imaginou entrando num boteco e pedindo um “Óvni de Torresmo com Gosma de ET?” Sim, esse foi um dos petiscos participantes, elaborado do auge da criatividade pelo Trem Caipira, um boteco participante de Ribeirão Preto!

Foto @lucasditadi

11205942_1462323850726087_1611605276_n

 

Bom, esse foi só pra abrir, porque nome criativo e que chamou a atenção de qualquer um que batesse o olho no cardápio foi o que não faltou. Sendo assim, fizemos uma pequena seleção aqui dos petiscos com nomes mais curiosos que apareceram na edição de 2015.

Deu Cupim na Farofa de Cuscuz Metida a Besta! Sim, o nome do petisco que basicamente é um Cupim assado com farofa de cuscuz de milho e lascas de pêssego por cima. Essa criação incrível saiu lá do Cachambeer, no Rio de Janeiro.

Foto @marianalenzi13

11242292_1644486752432898_862592600_n

E esse aqui: Costela de Adão no Paraíso de Eva. Paraíso de Eva imaginamos que seja uma referência ao acompanhamento da costela, já que se trata de um incrível molho barbecue com batatas. Criação do Bar das Meninas, em Salvador.

Sem título

Já em Poços de Caldas, o pessoal que frequentou o boteco Senzala Mineira andou comendo o Chulé do Lampião. Isso, esse prato abaixo mesmo, esses rissoles recheados com carne de porco e banana e levemente apimentados!

928312_602899083179760_791270083_n

Esse foi um dos vencedores lá do Vale do Aço. Será que a criatividade no nome ajudou? O já famoso petisco Galinha que Acompanha Pato Morre Afogada, criação do boteco Galpão!

Galpa¦âo

Bom, a lista seria imensa se a gente continuasse aqui falando. Sendo assim, convidamos a da um pulinho na lista de sua cidade pra ver os nomes dos petiscos que apareceram por lá. E, se der sorte, ainda consegue passar no boteco e experimentar – a maioria continua no cardápio!

 

Topam uma volta ao mundo em busca dos melhores butecos?

Buteco é tradição e o Comida di Buteco é pioneiro em resgatá-la, assim como toda a sua essência. Pensando nisso, agora temos um aliado que também é referência em buteco: o jornalista Juarez Becoza, colunista de bares do Jornal O Globo e jurado do Comida di Buteco no Rio de Janeiro, desde o começo!

Bom, Becoza é referência nacional quando o assunto é boteco e a meta agora é virar referência mundial: ele acaba de partir numa viagem ao redor do mundo, literalmente, buscando os melhores botequins do planeta. É o que chamamos de uma pesquisa etílico-gastronômica-antropológica da boemia mundial, onde ele irá explorar os butecos de 40 países e mais de 100 cidades de todos os continentes. É “A Volta ao Mundo em 80 Bares”!

10402582_647289698737742_4857395262019871813_n

Como não poderíamos jamais ficar fora dessa aventura, vamos seguir os passos do Juarez pelos butecos do mundo, numa parceria digna de mesa de buteco: ele produzirá conteúdos exclusivos para nós, onde documentará os butecos mais incríveis que encontrar nessa viagem!

Bora embarcar nessa Volta ao Mundo em 80 Bares com o Juarez Becoza? Então continuem atentos às nossas redes sociais, as novidades surgirão a cada passo que ele der!

10984119_647292642070781_8479939953156033778_n

 

O copo americano de boteco em boteco

Ele já foi considerado símbolo máximo do design brasileiro. Alguns também o consideram símbolo da cultura gastronômica brasileira. Já nós, temos que concordar com ambos!

O design e a gastronomia estão intimamente ligados por esse objeto que atravessou décadas e continua muito em alta e cada vez mais associado à cultura botequeira de modo geral: sim, o copo americano. E, de preferência, cheio!

Afinal, quem é que não aprendeu a tomar cerveja em um copo americano, ou quem é que não pega num desses pelo menos uma vez por semana? Que happy hour não foi acompanhado de vários desses na mesa? E que petisco delicioso não dividiu a mesa do boteco com esse copo?

A verdade é que ele está tão enraizado na cultura da gastronomia brasileira que nós, do Comida di Buteco, um concurso de cozinha de raiz que acontece em pleno boteco,  não teríamos como não notar essa presença em cada canto desse país. Por isso, selecionamos as fotos de alguns de vocês – sim, estamos de olho em cada boteco visitado – onde a presença ilustre do famoso copo fez toda a diferença na fotografia!

Um dos grandes motivos pra ele ir bem naquela reunião no boteco: ele é menor e mantém sua cerveja gelada, no tempo certo!

Olha ele aqui em Goiânia, no Nosso Butiquim! Foto do @silva_juliano

Cdb1

 

Em pleno Rio de Janeiro, no Sobral da Serra. Foto do @zonanorteetc

10593421_1586325141652683_124619442_n

No Boteco do André, em Campinas. Foto da @vancald

11202504_893179370739284_1923039367_n

Em BH, Amigos e Memorias, Bar do Paulino, Foto @touficquemel

11205954_473837716106482_2041427367_n

Manaus, Boteco do Galvez!

11078688_1579776148949714_1614657440_n (1)

E por aí na sua cidade? Ele é querido pelo pessoal? Com quais cervejas ou em quais ocasiões você curte um copo americano?

Boteco é boteco!

Mas e aí: você, que ficou 1 mês cercado por essa atmosfera de boteco, pelo clima boêmio e pela boa conversa jogada fora, sabe identificar um bom boteco?
Nós, especialistas no assunto, podemos dizer que o clima de boteco só entende quem pisa, quem frequenta, quem passa algumas horinhas vivenciando uma boa conversa jogada fora, regada a cerveja e um petisco incrível – que é ainda mais a nossa praia.
Aliás, quem não ama a chamada baixa gastronomia?
Nos botecos, onde ela reina, é onde se come bem e barato – é lá onde saem aquelas porções sensacionais, petiscos maravilhosos, quase impossíveis de se copiar em casa, afinal, vem de receitas seculares de família , onde o segredo é sempre o tempero!
É essa a essência que faz os bares do Brasil serem sinônimos de cultura e muita história, mas os botecos, ah os botecos! Esses são cheios de poesia, tradição e os criadores diretos da baixa gastronomia, que não importa o que a tendência gastronômica do momento peça, essa jamais sai de moda – nem dos nossos corações! E vocês, quais são os botecos “pé sujo” que já faz parte de sua historia? Da historia do seu bairro? Que são o ponto de encontro pro happy hour, reunião de amigos, ou seja lá o que for? Como são os botecos nos outros cantos do Brasil, já pararam pra pensar? Adoramos conhecer esses estabelecimentos, histórias e características tão peculiares…
Alguns seguem os estilos do século passado, quando surgiram, mantendo a imagem de um lugar antigo e com algumas tradições. Outros, atendem ao novo público botequeiro que vem surgindo e prosseguem se modernizando. Por isso, se você bater o Brasil de ponta a ponta, como nós, do Comida di Buteco, fazemos, verá as inúmeras identidades que um boteco pode ter…
Em Salvador, os botecos têm aquela cara de sossego…
Foto da @yaramoreirac
11373500_625684690901994_114561516_n
Em SP, a Boemia predomina! Foto @caeggv
11235854_1611033005780170_1702482166_n
No Rio de Janeiro o povo já nasce botequeiro… Foto @leonardo2907
11253699_1117557431593490_892518341_n

E aí na sua região? Qual é a característica predominante dos botecos?

Dia da Gastronomia Mineira!

De Minas para o mundo: nem precisa estar em Minas Gerais para se amar a gastronomia mineira, afinal, uma coisa é verdade absoluta: onde quer que você esteja, nos quatro cantos do Brasil, sempre haverá um boteco ou restaurante mineiro! Aliás, sempre que se fala em Minas Gerais é da gastronomia que as pessoas lembram!
Também não é pra menos, já que ela está enraizada na cultura do povo e a gastronomia da região é dotada de muita tradição! Quando falamos de tradição, falamos de uma historia bem brasileira que traz à tona a época dos escravos e das pedras preciosas, que inclusive estão presentes nos nomes das regiões: Ouro Preto, Diamantina, Sabará, entre tantas outras!
Da fazenda aos tropeiros, a comida Mineira tem lá suas peculiaridades que é respeitada a cada geração, pra que a mão do tempero não se erre e não se perca com o tempo! Inclusive, essas receitas estão muito presentes também nos tira-gostos elaborados para o Comida di Buteco! Já repararam?
Bom, isso tudo porque hoje é comemorado o Dia da Gastronomia Mineira! BH já é considerada a Capital Mundial dos Botecos e a cozinha de Minas serve de inspiração para todo o Brasil e lá fora também! Esse é o respeitoso cenário em que o Comida di Buteco nasceu.
Por isso, vale relembrar aqui algumas releituras que passara pelo Comida di Buteco 2015 e que trazem muitos desses elementos gastronômicos mineiros aos petiscos: torresmo, frango com quiabo, couve, costelinhas, enfim!
Rolou um Lombo à Capote, do pessoal do Sabor Mineiro, lá de Montes Claros.
cdb1
Já o Emporio do Sabor, de Juiz de Fora, criou essa Tentação Suína, que inclusive é o nome oficial do tira-gosto: um suculento rocambole suíno recheado com cream cheese e damasco hidratado com cachaça, regado a um delicioso molho de chocolate e laranja.
cdb2

E o Senzala Mineira? O boteco de Poços de Caldas criou o tira-gosto Chulé do lampião, um petisco em formato de risoles, recheado com carne de porco e banana com um levemente apimentado.
cdb3

O Bar do Mercado, de Uberlândia, mandou muito bem no Prosa de Buteco, um tira-gosto com uma deliciosa carne linguaruda bovina acompanhada de farofa a mineira e batatas gratinadas na manteiga com ervas finas servida na chapa quente de ferro!
cdb4
Já o Vale do Aço, que por sinal foi um dos que tiveram empate em primeiro lugar no Comida di Buteco, tiveram com um dos petiscos do concurso o que o pessoal do Tulipa’s Bar elaborou: Feijoada à moda do Tulipa, formado por bolinhos de feijoada, recheado de couve e bacon afogados no alho. Acompanha caldo de feijão com torresmo, laranja e pãozinho fatiado! Beeem Mineiro!
cdb5

E, finalmente Belo Horizonte, a capital onde os botecos reinam, não ficaria de fora dessa seleção: destacamos o Já to Inno, que leva o “mineirês” até no nome, com seu petisco campeão, o Já Tô Innrolado, um enrolado de carne recheado com bacon, queijo, maçã e especiarias, acompanhado de batatas ao murro gratinada com crème de queijo e geléia de morango picante reduzida com rapadura!
cdb6

Depoimento de um campeão!

Sabe aquele boteco que você ama e respeita como uma segunda casa? Quem é adepto da vida botequeira sabe que ele é uma verdadeira extensão de um lar – ou da cozinha desse lar!
Isso vale também para os donos do boteco, justamente os que se encaixam ao perfil de boteco que procuramos para o concurso: tem que vir de família, tem que ter a cara do dono do boteco e tem que ser uma extensão da cozinha! Enfim, valorizamos a raiz!

Você já parou pra pensar que aquele boteco onde você extravasa todas as suas angústias e alegrias pode ter esse perfil? E mais, já pensou em sugerir ele para o Comida di Buteco 2016? Queremos sua participação: visitaremos os botecos sugeridos e, se ele se encaixar ao perfil, poderá participar e até sair vencedor da próxima edição!

Pra vocês verem o presentão que é, trouxemos o depoimento do proprietário do Chocolate com Pimenta, campeão do Comida di Buteco 2015 lá em Ribeirão Preto, mas que já carregava mais 3 títulos!
Ele contou pra gente que cresceu muito profissionalmente, seus funcionários também, além de ter seu negocio valorizado e reconhecido, ano após ano! Dá uma olhada:

E aí? Curtiu a ideia? Se sentiu entusiasmado pra dar aquele empurrão no boteco que você frequenta toda semana?

Se sim, é só clicar aqui e mandar sua sugestão! Contamos com vocês para selecionar os melhores botecos da sua região e fazer um Comida di Buteco 2016 ainda melhor!

Transformação de vidas no Comida di Buteco 2015!

11261019_718501801605700_1857481034_n

Se tem uma coisa que prezamos muito, além de todo aquele bom papo de boteco em volta de uma mesa e com um petisco sensacional são as transformações de vidas!

Miramos nelas em relação aos botecos participantes: estimulamos o negócio local e a gastronomia da região, para que os donos de estabelecimentos possam sempre oferecer o melhor em um mercado tão competitivo, como o dos botecos!

E olhem que legal os resultados!

“O meu bar tem capacidade para 28 pessoas e lá tinham mais de trezentas ao mesmo tempo. Não dá para explicar, é uma coisa inimaginável, é muito trabalho, é uma maratona de 31 dias!” assim disse o proprietário do Bar da Frente, participante do Rio de Janeiro, em entrevista ao G1!

Em conversa recente com a proprietária do boteco participante Mistura Fina, lá do Vale do Aço, soubemos que o boteco bateu todos os recordes de venda durante o concurso e o recorde do recorde nas semanas finais, como podem conferir no depoimento gravado abaixo!

Em Brasília, o proprietário do Onda Petiscaria disse se sentir muito feliz por toda a exposição, não só no bairro, mas na cidade! Ele ainda contou sobre como se sentiu motivado, antes do concurso, fazendo com que saísse de sua “zona de conforto”, depois de tantos anos com o boteco, e pudesse inovar e dessa forma conquistar novos clientes e reconquistar os antigos!

Pra quem aprecia a cozinha de raíz, é um prato cheio! – no Comida di Buteco, o desafio é estimular a inovação da cozinha e criar-se sempre um petisco que ainda não passou pelo Comida di Buteco!

Já para quem faz parte desse ramo, é ainda mais incrível! Aliás, queremos ouvir a todos! Se você é participante do Comida di Buteco 2015, qual foi a melhor pro seu boteco?

E você, público admirador da gastronomia botequeira, o que percebeu de melhoras nesse sentido em sua região?

Escolha o próximo tema do Comida di Buteco 2016!

Todo mundo sabe que aqui a regra é não repetir! Queremos os melhores petiscos, os mais tradicionais, os que tragam à tona aquele tempero da receita de família.

Lógico que precisamos de alguma forma nortear o concurso. Nesse ano, foram aproximadamente 500 botecos participantes, cada um com suas características de boteco familiar mesmo! A única coisa realmente em comum entre eles, foi o tema dos tira-gostos: frutas!

11235914_1592055584381892_1780920939_n

Foto da @paularneves, no Bar da Portuguesa, com o petisco Bico da Dondon!

Ainda assim, a diversidade mandou muito mais que o tema e, apesar de todos os petiscos participantes terem uma fruta como ingrediente principal, acompanhamento ou simplesmente decoração comestível, as regiões, as espécies de frutas e a criatividade de cada dono de boteco fez surgir pratos inimagináveis!

Foi assim com todos os anos: já tivemos jiló como o ingrediente obrigatório; também já fizemos uma homenagem ao Norte de Minas, onde algumas das especiarias escolhidas e que caracterizam a região deveriam fazer parte dos petiscos – ao menos uma delas – como o requeijão escuro, por exemplo, ou a rapadura, manteiga de garrafa, e por aí vai! Também tivemos anos em que o desafio era acrescentar mandioca e linguiça às receitas, sem que uma fosse igual à outra, e ainda tivemos anos em que o tema foi livre também!

Como sempre, queremos a sua opinião sobre a escolha do tema para o Comida di Buteco 2016: o que você acha que devemos sugerir aos botecos? Ou prefere um tema livre?

Pra ajudar a decidir, é muito fácil! Separamos um espaço especial em nosso site, para que possam dar sua opinião! É só clicar aqui!

https://docs.google.com/forms/d/1BFA-IpYndxz-i9gzIDIeWxheELSWxwl81Vm0dDj2xOM/viewform

Participe e ajude a fazer o Comida di Buteco 2016 ainda mais incrível!

 

Os botecos campeões de Goiânia!

E , finalmente, a premiação rolou na ultima cidade: Goiânia!

Essa cidade incrível que já participa do Comida di Buteco há 8 anos e representa em todos eles, teve 29 botecos incríveis participando dessa edição!

Todos mandaram muito bem e arrebentaram na criatividade das receitas. Porém, como manda a regra do jogo, cabem poucos no pódio – mas, se nos permitem, todos os botecos têm pinta de campeão!

Bom, em Goiânia o concurso premia os 5 melhores botecos em atendimento, higiene, temperatura da bebida e, é claro, o petisco mais votado! Juri e público foram a campo, a disputa foi acirrada, mas saiu! Confiram os 5 primeiros colocados no Comida di Buteco 2015 em Goiânia:

O 5º lugar foi para o Conversa de Boteco com o Combinado Carioca, um bolinho com suave toque de camarão na massa, recheado com muçarela, acompanhado de saladinha de folhas e conserva a base de kiwi. Sim, kiwi!

Conversa-de-Boteco

O 4º lugar ficou com o Bar du Marcelo, criador do Porquinho Maluco: almôndegas suínas temperadas à moda da casa, servidas com chutney de abacaxi picante. Palmas para a originalidade desse petisco!

Bar-du-Marcelo-

A conquista do 3º lugar foi do Bar da Elaine, com o Paçoca de Baru. O petisco é uma paçoca de baru e carne de sol acompanhada de mandioquinha temperada. Ficou incrível!

Bar-da-Elaine

O quase campeão, conquistador do 2º lugar, foi o Bar do Chicão que criou o tira-gosto Versão Brasileira. São bolinhos de aipim com frango e pequi, recheados com carne, queijo e catupiry. Acompanha molho de abacaxi picante. Combinação sensacional, olha só:

Bar-do-Chica¦âo-

E, para fechar, o grande campeão do Comida di Buteco em Goiânia foi o Recanto do Chopp foi essa receita nomeada Só a Pepita, uma kafta redonda feita de carne de sol, recheada com 03 queijos, assada na brasa. Divinamente acompanhada de mandioca, abacaxi e hortelã. Delícia!

Recanto-Chopp

 

Conhecidos os campeões, é o momento de aproveitar o feriado e passar em cada um deles!

Agradecemos a todos os participantes e já aguardamos ansiosamente para a próxima edição!