Experiência incrível em Belém: o buteco que só é acessível de barco!

Ela, que é uma das Cidades Criativas Unesco por conta da gastronomia, não poderia nunca ficar de fora do Comida di Buteco! Por isso, a cada aniversário bate aquele orgulho de ter tantos butecos incríveis e receitas familiares a serem prestigiados no concurso.

Hoje, Belém completa seus 401 anos. A história dessa maravilhosa cidade é incrível e enorme, não caberia num post e quem nunca visitou Belém jamais entenderia em palavras, mas dá pra mostrar um pouco do que a cidade tem! Como? Decidimos falar um pouco aqui de um buteco que represente Belém – tem MUITOS lá – de muitas maneiras, seja pelo tempo de existência, pelas receitas, pela cultura, pela paisagem e pela forma de ser apreciado, um tanto quanto curiosa! Vocês já ouviram falar no Saldosa Maloca? Sim, com L mesmo!

sm12-deck

O buteco também é participante do Comida di Buteco e reflete muito nossa querida Belém: Fica na Ilha do Combu, seu acesso é feito por barcos, pelo rio, a comida regional é simplesmente INCRÍVEL e deliciosa: toda a sua experiência no buteco é ao som da natureza, contemplando seu visual!

E, como manda o figurino, é um buteco pra lá de familiar mesmo: são 35 anos de existência e é administrado por Prazeres Quaresma, a dona Neneca, que cresceu no buteco, aberto por seu pai e tios e começou trabalhando lá muito novinha.

A publicidade lá começou totalmente pelo boca a boca. Segundo a Dona Neneca, o pessoal chegava, pedia, era super bem atendido e saia falando do buteco para outras pessoas. Nesse boca a boca, ele chegou até a equipe do Comida di Buteco, onde fez sua fama além das fronteiras do Belém! Hoje o Saldosa Maloca é frequentado por muitos turistas, além de celebridades e é uma forte referência da vida maravilhosa e deliciosa do Belém, ou seja, impossível visitar a região sem passar pelo Saldosa Maloca e ver realmente o que é que o Belém tem!

Não precisamos dizer que o Saldosa Maloca, com toda essa historia e mostrando todo o seu potencial no Comida di Buteco, se tornou ponto turístico e só cresce, né?

Olha aí as imagens do Saldosa Maloca e imagine-se agora mesmo num buteco como esse, hoje! Se você está em Belém, vale a dica de passeio imperdível!

belem2

belem3

belem3

belem4

belem5

Fotografias por Matheus Lisboa

E aí, já visitou algum buteco de Belém bem típico e com uma comida cheia de ingredientes regionais e aquele jeitinho único de ser preparada? Comente e mande as fotos pra gente!

 

Preparem-se: a Saideira 2017 vem aí!

Para o ano ser bom, ele precisa começar com ótimas notícias, e a nossa parte vamos fazer: a primeira DE TODAS AS NOVIDADES QUE ESTÃO POR VIR, é que o Comida di Buteco 2017 já tá mais próximo e, consequentemente, a SAIDEIRA 2017 TAMBÉM!

Estamos reservando as melhores atrações e aqueles petiscos maravilhosos que vocês só conhecerão quando o Comida di Buteco começar, mas a novidade nesse momento é que OS INGRESSOS DA SAIDEIRA ESTÃO DISPONÍVEIS e ressaltamos que nesse ano, além dos ingressos caberem no bolso de todo mundo, não aumentaremos o valor! Além disso, os tira-gostos no dia permanecerão por um preço único: R$10!

Daremos mais detalhes em breve, mas já dá pra correr e garantir o seu, porque como todo ano, os ingressos são limitados!

SE PREPAREM, porque vai ter alegria…

Saideira

Vai ter entretenimento do bão

Saideira 16

Vai ter comida, claro!

Saideira 11

Cerveja vai tá tendo? Opa!

Saideira 22

E MUITO MAIS COISAS pra superar ainda mais as edições anteriores!

Corre na Central dos Eventos para mais informações e para garantir sua entrada!

A transformação de vida do Thom Bar, de Montes Claros

É galera, 2016 passou, fez o que tinha de fazer, e foi embora! Quem sentiu a diferença que 2016 fez na vida jura de pé junto que o ano foi sensacional, que vai guardar na memória e nós acreditamos sim: muita gente teve suas vidas transformadas nesse ano, incluindo os butecos do Comida di Buteco!

Aliás, no decorrer desse ano inteiro contamos aqui as histórias de transformação desses butecos. Hoje, decidimos finalizar a ultima historia do ano (sim, do ano, porque em 2017 as histórias não acabarão!) contando um pouco do que rolou com o Thom Bar, de Montes CLaros! Quem conhece?

O proprietario, Thonnely Mendes, diz que o saldo de todas as participações que vem acumulando no Comida di Buteco é muito positivo: o Thom Bar está no Comida di Buteco há alguns anos, onde já investiu em qualificação e melhorias para o buteco, porque a meta sempre foi o primeiro lugar!

“O meu bar era movimentado antes do Comida di Buteco. Mas, depois que entrei no concurso, vi o meu ponto se transformar e ser um dos mais procurados da cidade. O concurso trouxe um novo olhar para o meu bar”, diz Thonelly, em uma das inúmeras entrevistas que deu, após ganhar tanta visibilidade com o concurso.

Para ele, a receita do sucesso é muito trabalho e amor pelo que faz. Já Dona Hélia Alves Mendes, mãe de Thonnely, também mentora dos pratos criados no buteco, defende que o sucesso, além de tudo, tá na forma como a receita é preparada e na medida exata de cada ingrediente – concordamos também, Dona Hélia, a senhora é um arraso na cozinha e já percebemos que o Thom Bar é um caso nítido de cozinha raíz, passado de um por um na família!

thom_bar

Hoje, o Thom bar funciona na Rua Humanitá, lá no Santa Rita, mas nem sempre o buteco atendeu nesse endereço! A vida mudou bastante para o Thonnely e seu estabelecimento.

O resultado do esforço, dedicação e comprometimento foram milhares de pessoas que passaram pelo Thom BAr, se tornaram clientes fieis e voltaram fora da temporada do Comida di Buteco!

Se em 2017 tem mais? Tem MUITO mais! Além de algumas colocalçoes no pódio que o Thom BAr conquistou, pode ser que ele também leveo titulo de melhor buteco do Brasil na proxima edição. Quem aposta neles?

Receita de petisco para o Natal: Canudinho de Pernil do Rancho Vô Joaquim

Algumas coisas não podem deixar de dar as caras no Natal, é tradição! Não estamos falando só da uva passa, que divide opiniões, mas de outras coisas deliciosas que as pessoas passam o ano inteiro aguardando pra comer. É o caso do pernil e do peru! Quem aí AMA?

E a gente ama TANTO, que decidimos que nesse ano você tem a opção de comer seu pernil na maneira tradicional, ou de uma forma inovadora: como petisco!

Trouxemos aqui os Canudinhos de Pernil, uma receita que foi sucesso absoluto em Campinas, no ano de 2015, criado pelo buteco Rancho Vô Joaquim. O sucesso foi tanto que eles levaram o título de campeões nesse ano! Uma delícia real!

10_58_36_366_Canudinho_de_Pernil_2

Como ainda é dia 23, dá tempo de se programar pra fazer!

Sendo assim, eis a receita:

INGREDIENTES

– 4 colheres (sopa) de óleo

– 1 cebola picada

– 500g de pernil suíno cozido e desfiado

– 250g de azeitonas pretas picadas

– Salsinha a gosto

– 150g de requeijão de corte

– Sal a gosto

– Canudinhos para rechear

– Bananas chips para acompanhar*

MODO DE PREPARO

Coloque o óleo em uma panela previamente aquecida; refogue a cebola até murchar; junte o pernil cozido e desfiado e deixe aquecer bem, até começar a soltar o suco de cocção.

Junte as azeitonas pretas e mexa bem; quanto mais mexer, mais o pernil vai se desfazendo e ficando mais fino; acrescente a salsa e mexa bem.

Na sequência vem o requeijão. Deixe que derreta e se funda com o pernil refogado e os demais ingredientes, até obter uma mistura cremosa. Prove o sal e corrija se necessário.

Os canudos podem ser recheados com a mistura de pernil ainda morna, mas devem ser servidos em seguida, acompanhados de bananas chips.

canudinho_de_pernil

*A banana chips é opcional, mas faz uma combinação ótima e é claro que trouxemos as receitas também:

INGREDIENTES

4 Bananas (da terra) verdes

Sal a gosto

MODO DE PREPARO

Com um fatiador, corte a banana em tiras sem tirar a casca (para não correr o risco dela desmanchar). Em seguida, retire a casca e acrescente um pouco de sal (a gosto).

Para as bananas ficarem “sequinhas”, é necessário levá-las ao sol por dois dias, com a ajuda de duas peneiras . Coloque uma peneira na parte de cima e outra na parte de baixo com as bananas ao meio separadamente (evite deixá-las uma em cima da outra para ajudar na secagem).

Passados os dois dias, leve as bananas ao forno por cerca de 40 minutos com aquecimento de 150 graus. A partir daí é só acompanhar o ponto para que elas fiquem crocantes.

 

É só isso! Esperamos que a família inteira ame!

Receita butequeira para as festas de fim de ano

Chegou a época de confraternizar e, pra quem é butequeiro de carteirinha, confraternizar tem muito a ver com comer e beber!

Mas, de alguma forma, essa também é a época que a gente sabe decoradinho o que vai comer, né? As delícias de fim de ano não mudam muito – ainda assim são deliciosas.

Então, que tal se meter a chefe e aproveitar um pouco dos ingredientes que você já terá em casa nessa época e fazer algo diferenciado, bem butequeiro, que a família toda vai amar?

A gente trouxe aqui uma receita que já foi campeã do Comida di Buteco em edições passadas e faz sucesso até hoje, além de ter muito a ver com o Natal: o Escondidinho de Bacalhau do Bar do Magrão, de SP!

bar-magrao

Eles que fizeram um sucesso danada com essa receita, agora contagiarão outras casas e outras mesas, pra fazer a alegria geral do pessoal da família!

Então vamos lá que a receita já tá aqui prontinha!

Ingredientes

– Duas colheres grandes de bacalhau do porto

– Azeite

– 2 colheres de sobremesa de cebola

– 1 colher de alho picado

– Azeitona

– Salsinha

Purê de batata

– 1 kg de batata

– 3 colheres de sopa de manteiga

– Sal a gosto

– Leite

Modo de preparo – Purê

Coloque as batatas para cozinhar, sem casca. Cubra com água até cerca de um dedo acima das batatas, deixando ferver, até que estejam macias. Utilizando o espremedor de batatas, amasse-as com cuidado para evitar que fiquem encaroçadas.

Coloque a massa obtida, ainda quente, em um prato fundo ou tigela juntamente com a manteiga e o sal. Com o auxílio de um garfo, amasse delicadamente e vá colocando leite quente aos poucos, até que o purê fique na consistência desejada.

Modo de preparo – Escondidinho

Dessalgue o bacalhau, trocando a água de três a quatro vezes por dia. Cozinhe e desfie.

Numa panela, refogue a cebola e o alho no azeite. Acrescente duas colheres do bacalhau desfiado, azeitona e salsinha a gosto. Mexa bem, sem deixar secar muito.

Em um pote pequeno, distribua um pouco do bacalhau e despeje o purê de batata por cima. Sirva em seguida.

 

Aprendeu? Hora de testar pra não fazer feio no dia!

 

Receita: feijoada diferente

Quem curte aproveitar aquela feijoada de lei todo sábado, sabe o quanto esse prato é adorado.

Tão adorado, que até mesmo na hora de criar um petisco diferente no cardápio para participar do Comida di Buteco, a delícia tem que envolver feijoada! Bom, os caras são mestres da cozinha, tudo na mão deles, por mais diferente que seja, fica excelente!

Foi o caso do tira-gosto incrível criado pelo Bar do Mariano para a ultima edição do concurso, que reinventou a feijoada de uma forma que fez MUITO sucesso mesmo entre o público e que ninguém nunca havia imaginada: o Hot K rio K, um hotroll de feijoada!

bardomariano

É mega fácil de fazer e é super delicioso, por isso trouxemos aqui pra você aprender a receita:

 

Dia do Samba!

É aquela coisa, gente que tem a alma livre gosta mesmo é de tudo que é simples e democrático. Por isso que, se você está aqui, é porque curte um buteco – a primeira coisa mais democrática no Brasil.

Mas hoje é um dia especial… a segunda coisa mais democrática no Brasil – o samba – é comemorado!

E pra provar que a gente coloca o samba no pé – ou algo parecido com samba – em todos os momentos da vida, separamos esses gifs. Se idêntifica?

A gente samba até quanto não sabe sambar…

tumblr_mpycehXNbK1s505rvo1_400

Sambamos independente de quem somos…

esse_ai_ja_pode

Sambamos até mesmo pra comemorar o fim de um discurso…

tumblr_m6vd6nM6tk1qzdvhco1_400

Sambamos porque temos a certeza que somos maravilhosos

face-gif2

Sambamos na tela da TV no meio desse globo…

anigif_enhanced-20444-1422464902-3

Sambamos porque ninguém ta vendo…

nazare

Ou porque tá todo mundo vendo…

samba1

E sambamos por tantos outros motivos! ♥

E você, samba em que momentos?

Transformação de Vidas: Uberlândia

Para nós e para todo bom apreciador da vida butequeira, o tamanho do buteco pouco importa, o que importa mesmo é o sucesso da receita!

Assim nasceu o Comida di Buteco e assim é que, ano após ano, os butecos participantes conseguem dar uma guinada em suas histórias, em todas as cidades envolvidas.

Em Uberlândia temos dois ótimos exemplos de transformação de vidas. Um é o Bar do Betão, o outro é o Bar do Carlinhos. Só para que possam entender melhor, os dois possuem 24 e 25 anos de vida, respectivamente.

No caso do Bar do Betão, no centro de Uberlândia, eles estão no Comida di Buteco desde a sua primeira edição –inclusive ano que vem já estamos indo para 10ª edição na cidade! O José Gilberto (Betão), proprietário do buteco, na ultima edição realizou um investimento de 10 mil  reais no buteco, além da contratação de mais uma cozinheira e dois garçons. Com esse dinheiro, ele reformou os banheiros, uniformizou a equipe, pintou o estabelecimento, enfim, melhorou a estrutura de modo geral para que pudesse acomodar melhor o público visitante durante o concurso; E não deu outra: ele próprio afirma que alavancou seu faturamento em 80%!

bar do Betão

Já o Bar do Carlinho, do seu José Carlos Alves de Medeiro, conta que além de melhorar o cardápio do buteco, também melhorou os banheiros e colocou mais mesas para receber o pessoal. Ainda segundo ele, no início, o buteco possuía apenas duas mesas de sinuca e banquinhos que ficavam próximos ao balcão. Eles continuam no mesmo espaço, mas a estrutura é bem melhor, “Construí mais um banheiro feminino. Além de boas receitas, treinamento recebido, sugestões de especialistas, e de ter meu estabelecimento divulgado pela mídia, tenho pratos que criamos com o incentivo desse concurso e é lider de vendas até hoje. O evento força a gente fazer algo inovador. Se estou onde estou hoje, devo ao Comida de Buteco”, contou ele, em entrevista.

Betao-comida-di-buteco2

Essa é a historia butequeira de Uberlândia, uma cidade recheada de novos butecos, que crescem a cada ano, mas também de antigos butecos que sobrevivem mesmo que com tantos novos estabelecimentos, aceitando os desafios e melhorando sempre!

Conhece alguma história de buteco em Uberlândia ou em outra cidade que o resto do Brasil precisa saber? Conta pra gente aqui!

Para nós e para todo bom apreciador da vida butequeira, o tamanho do buteco pouco importa, o que importa mesmo é o sucesso da receita!

Assim nasceu o Comida di Buteco e assim é que, ano após ano, os butecos participantes conseguem dar uma guinada em suas histórias, em todas as cidades envolvidas.

Em Uberlândia temos dois ótimos exemplos de transformação de vidas. Um é o Bar do Betão, o outro é o Bar do Carlinhos. Só para que possam entender melhor, os dois possuem 24 e 25 anos de vida, respectivamente.

No caso do Bar do Betão, no centro de Uberlândia, eles estão no Comida di Buteco desde a sua primeira edição –inclusive ano que vem já estamos indo para 10ª edição na cidade! O José Gilberto (Betão), proprietário do buteco, na ultima edição realizou um investimento de 10 mil  reais no buteco, além da contratação de mais uma cozinheira e dois garçons. Com esse dinheiro, ele reformou os banheiros, uniformizou a equipe, pintou o estabelecimento, enfim, melhorou a estrutura de modo geral para que pudesse acomodar melhor o público visitante durante o concurso; E não deu outra: ele próprio afirma que alavancou seu faturamento em 80%!

http://www.correiodeuberlandia.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Betao-comida-di-buteco2.jpg

Já o Bar do Carlinho, do seu José Carlos Alves de Medeiro, conta que além de melhorar o cardápio do buteco, também melhorou os banheiros e colocou mais mesas para receber o pessoal. Ainda segundo ele, no início, o buteco possuía apenas duas mesas de sinuca e banquinhos que ficavam próximos ao balcão. Eles continuam no mesmo espaço, mas a estrutura é bem melhor, “Construí mais um banheiro feminino. Além de boas receitas, treinamento recebido, sugestões de especialistas, e de ter meu estabelecimento divulgado pela mídia, tenho pratos que criamos com o incentivo desse concurso e é lider de vendas até hoje. O evento força a gente fazer algo inovador. Se estou onde estou hoje, devo ao Comida de Buteco”, contou ele, em entrevista.

Bar do Carlinho (4)

 

Carlinhos-comida-di-buteco2

Essa é a historia butequeira de Uberlândia, uma cidade recheada de novos butecos, que crescem a cada ano, mas também de antigos butecos que sobrevivem mesmo que com tantos novos estabelecimentos, aceitando os desafios e melhorando sempre!

Conhece alguma história de buteco em Uberlândia ou em outra cidade que o resto do Brasil precisa saber? Conta pra gente aqui!

Receita de buteco pra fazer no sábado!

Se a sexta-feira é o dia que todo mundo passa a semana toda esperando, o que dizer do Sábado? É o ápice? O sábado é aquele dia que você acorda querendo ser muito mais feliz que o comum, só fazer coisas incríveis e até bate aquela disposição de ousar na cozinha, aí você convida os amigos e pronto… o que fazer?!

Se quer uma dica, faz esse Escondidinho de Costela de Boi com Aipim, que foi criação do A Lapinha para uma das edições do Comida di Buteco e é SEM ERRO, é fácil de fazer, é deliciosamente maravilhoso, e todo mundo AMA a receita!

a-lapinha

Papel e caneta na mão, o desafio tá lançado!

Para o purê, você vai precisar de:

– 1 xícara(s) de chá de leite

– 600 grama(s) de aipim cozido

– 1 colher(es) de sopa de manteiga

Para o recheio, separe:

– 2 colher(es) de sopa de manteiga

– 1 alho-poró médio picado

– 1 cenoura média picada e levemente cozida

– 1 lata(s) de tomate pelado picado

– Cebolinha a gosto

– 500 grama(s) de costela de boi temperada a gosto cozida na panela de pressão e desfiada

– 1 bisnaga pequena de requeijão

Modo de preparo

Purê

Misture o aipim cozido, com leite fervido e a manteiga. Bata no liquidificador até obter um creme homogêneo. Reserve.

Recheio

Derreta a manteiga e refogue o alho-poró a cenoura e os tomates. Acrescente a costela desfiada com um pouco de seu caldo de cozimento e deixe apurar. Desligue o fogo e acrescente a cebolinha. Misture rapidamente.

Para a montagem coloque metade do purê no fundo de uma travessa – ou de pequenas cumbucas, se quiser fazer porções individuais. Acrescente o recheio, cubra com requeijão e depois com o restante do purê de aipim.

Salpique queijo parmesão por cima leve ao forno para gratinar. Decore com pimenta biquinho.

11283335_101849640151738_1471819502_n

 

A influência afro na cozinha brasileira

Um dia pra se respeitar e refletir: o Dia da Consciência Negra. E mais que isso, dia de relembrar que ela tá tão enraizado na nossa cultura e presente em nosso dia a dia, que já é parte de nós: o relevo dessa cultura afro e o impacto na evolução da cultura brasileira e, mais ainda, na gastronomia brasileira, que é profundamente inspirada nas culturas afro!

Aliás, tem muita coisa que as pessoas nem sequer imaginam que foi herdada dos povos negros, mas foi sim. Na gastronomia, por exemplo, não só os ingredientes, mas também a forma de se temperar e montar os pratos foi herdado!

Alguns desses petiscos são tão incríveis que alguns já viraram patrimônio cultural, como é o caso do Acarajé, tão presente em algumas receitas do Comida di Buteco 2016, não só é nacionalmente conhecido, como também é Patrimônio Cultural NACIONAL!

Exatamente!

Alguns butecos, que já servem essa delícia e são afiados nas receitas, resolveram reinventá-las, sem perder o sabor e a origem, apresentados os pratos de uma forma mega diferenciada – outro ponto que veio muito do povo negro: a capacidade de criar e se refazer!

O Jeitão da Baiana, do Rio de Janeiro, por exemplo, criou o Delícia de Yaya, uma porção com 6 mini acarajés  de feijão fradinho, tempero surpresa a base de gengibre e canela servido com camarão seco, vatapá e cururu! Pra não só delicioso, mas simbólico!

13473281_634963926651455_1688223814_n

O Bar do Dodo, de Goiânia, criou o Acarajé Goiâno, um bolinho de milho, montado tipo acarajé, com molho de frango, linguiça e molho de tomate e cebola!

13098944_1740377429549450_838357712_n

Em BH também teve essa influência: o Bar da Leila fez o Minas com Bahia, um bolinho de acarajé com carne seca na manteiga de garrafa.

12960146_161733727560424_1891883576_n

E a Feijoada? Ela virou preferencia nacional nas mesas e tem até um dia da semana especialmente dedicado a ela, em praticamente todas as cidades brasileiras. Qual é o dia da feijoada em sua região?

Aqui no Comida di Buteco ela também ganhou várias releituras, de vários lugares do Brasil!

O pessoal do Bar do Mariano trouxe essa delícia de uma forma talvez nunca imaginada, mas que casou muito bem e vale a pena experimentar:  Hot K Rio K 2016, uma feijoada com todos os seus devidos elementos, mas no formato de hot roll! São 6 unidades de hot recheado, com carnes nobres da feijoada, sobre uma camada de couve, acompanhado de torresmo moído e molho de caldo de feijão e laranja.

12917870_1025700730845035_1338843097_n

O Bar do Alto, no Rio de Janeiro, também é mestre na arte da feijoada e decidiu caprichar no petisco desse ano: criaram o Princesinha do bar, um rolinho de Feijoada com acompanhamento de vinagrete de Bacon!

Bar-do-Alto_Princesinha-do-Bar_Rio-de-Janeiro_2016_Foto-Marcos-Pinto