Aprenda a fazer esse petisco com torresmo e moela!

Entre o torresmo e a moela… há mais coisas do que possa imaginar a nossa vã filosofia. É parafraseando William Shakespeare que a gente traz essa filosofia de buteco pro dia de hoje.

Sim, nesse petisco do tradicional Bar do Momo, no RJ, tem moela, farofa de torresmo, purê de batata doce e quinoa frita. Quem provou, garante que não chegou ao primeiro lugar por um triz! Quem concorda?!

Foto @gabrieldamuda

19424776_1824410254542938_137742444451069952_n

Sabemos que a “cereja do bolo” nesse petisco é a moela e o torresmo, senão não dariam o nome ao petisco, mas o grande desafio foi acrescentar cereais, e eles inovaram com essa quinoa frita!

Então, a gente concorda que todo mundo merece ter essa receitinha para, ao menos, tentar fazer em casa. Com vocês, a receita do petisco concorrente no Comida di Buteco 2017 do Bar do Momo!

E só pra te dar um a ajuda, a lista dos ingredientes e modo de preparo também estão aqui! Vai na fé, que se não ficar igualzinho, vai ficar bom também! :P

Ingredientes (quantidade e tipo):

2 quilos de Moela
400 gramas deBacon
10 unidades de cebola
2 colheres de açúcar mascavo
Um fio de azeite
1 garrafa de vinho tinto seco
Alho poró
Cenoura
Aipo
600 ml de no tonkatsu
250 ml molho de ostra
200 gramas de de pimenta dedo de moça
5 pimentões vermelhos
3 quilos de batata doce
1cliteo creme de leite
2 tabletes de manteiga
Sal a gosto
Wasabi a gosto
30 gramas de quinoa
Óleo de soja
Torresmo de barriga
Modo de Preparo (atividade e tempo):
Em uma panela coloque as 10 unidades de cebola cortadas e caramelize com azeite, acrescente os 5 pimentões e deixe caramelizada também, acrescente as duas colheres de açúcar mascavo. Acrescente a garrafa de vinho tinto e deixe reduzir. Em outra panela faça um caldo de legumes com aipo, cenoura e alho poró. Depois do caldo pronto, acrescente o mesmo a panela onde estava a cebola e o pimentão caramelizado, coloque o caldo até a metade da panela. Deixe o caldo reduzir até ficar encorpado, acrescente o molho tonkatsu e o molho de ostra, finalize com 200 gramas de pimenta dedo de moça. Acrescente a moeda e o bacon, transfira para uma panela de pressão e deixe cozinhar, quando a panela pegar pressão, abaixe o fogo e deixe cozinhar por mais 20 minutos.
Cozinhar a batata doce, acrescentar sal a gosto, wasabi a gosto, 1 litro de creme De Leite e a manteiga. Passar no processador.
Em uma frigideira com um fio de óleo fritar a quinoa.
Receita rende quantas porções? Rende 20 porções.
Tempo de preparo – 50 min
Tempo de espera – 20 min

Tá na mesa o “Bebo porque é líquido, se fosse sólido eu comeria”

Lá vem mais um para o time de inusitados do Comida di Buteco 2017, que além de inusitado é delicioso, feito com cerveja Caracu e ainda conseguiu materializar um frase que todo butequeiro já falou ao menos uma vez na vida: “bebo porque é líquido, se fosse sólido eu comia”.

E atenção, minha gente: é sólido!

O pessoal do bar 222, lá de Belo Horizonte, trouxe para o Comida di Buteco 2017 um petisco que vai para a mesa do cliente preparado dentro da garrafa de cerveja que, num ritual incrível, é servido na tigela para o pessoal se deliciar!

Quer entender melhor como? Assim ó:

Depois de servido, é assim que ele se apresenta à mesa:

18381961_1306454496117634_3108689438989877248_n

E pra você que curtiu a carinha dessa delícia e é fã de moela, trouxemos a receita pra você fazer em casa! Aí é só seguir o passo a passo conforme manda o figurino e, se quiser incrementar com a garrafa, é só improvisá-la também!

Ingredientes (quantidade e tipo):

1 kg moela limpa e picada

1 lata de cerveja Caracu

1 pacote de sopa de creme de cebola

1 pimentão pequeno verde picado

50 g de mini cebolas

1 cabeça de alho

2 xícaras de caldo de galinha caseiro

1 folha de louro

100 ml de água

30 g de mussarela fatiada

30g de queijo prato fatiado

3 ciabattas pequenas fatiadas

Modo de Preparo (atividade e tempo):

Deixar a moela de molho em um litro de água fervente com 2 colheres de sopa de vinagre por 40 inutos. Escorrer bem. Refogar o alho, pimentão e cebola, pré fritar a moela no azeite. Acionar o caldo de galinha e o creme de cebola. Finalizar com a Caracu e a água, cozinhar na pressão por 20 minutos. Cortar as ciabattas em rodelas e servir com os rolinhos de queijo prato e mussarela.


Tempo de preparo: 1h30
Receita rende quantas porções? 3 porções

Prepara e não esquece de mostrar nas redes sociais!

 

 

Vai fundo! A receita tá aqui!

O nome desse petisco é quase que uma afronta mesmo: “Vai fundo!” E quem é que não iria né?

Na verdade, seu nome completo é “Vai Fundo! Debaixo do Angú tem carne… de porco!”. O nome já é bem autoexplicativo. Essa delícia é feita com pernil, desfiado em seu próprio molho, acompanhado dessa polenta bem cremosa com queijo, gratinada com provolone… ufa!

O nome em si já gera uma curiosidade, mas ver esse prato assim o torna ainda mais irresistível!

E como não daríamos a mancada de divulgar isso e simplesmente deixar todo mundo passando vontade, sugerimos que vá até o Bode Cheiroso provar essa delícia. Se você estiver muito longe, trouxemos a receita para tentar fazer em casa!

18300132_415276715525007_7642680323666345984_n

Bora lá por a mão na massa? Trouxemos aqui um vídeo gravado pelo próprio pessoal do Bode Cheiroso, ensinando o passo a passo do petisco. Bora salvar pra você fazer agora ou mais tarde e não esquecer!

18300165_1498374306880977_946712015827632128_n

 

Foto do @naturecipe

Aniversário de Goiás e Manaus com comida raiz!

Gente, aniversário de duas cidades que a gente ama e que são muito presentes no Comida di Buteco, exatamente no mesmo dia: Manaus e Goiânia! E, como não poderia deixar de ser, aqui esse dia não passa batido.

Manaus comemora seus 348 anos, enquanto Goiânia é uma jovem boêmia de 84 aninhos! Todos os anos, felicitamos essas cidades incríveis, que abrilhantam o Comida di Buteco com suas receitas, historias de vida, pessoas sensacionais, butecos cheios de cultura e de comida raiz pra mostrar!

Hoje, além de parabenizar, a gente vai além. Não deixem passar essa data especial nas duas cidades. Bora comemorar no melhor buteco de Goiânia, se você for de lá, ou no melhor buteco de Manaus, se você for da cidade: Dom Cirus e Quiosque Beer, respectivamente!

Como fizemos uma pequena brincadeirinha perguntando se vocês reconheceriam, pelos ingredientes, qual era o petisco típico de cada cidade, vamos explicar aqui melhor.

O petisco do Dom Cirus, de Goiânia, é o Kib’Bolinho, que vai kibe de arroz com colorau recheado com carne moída e bolinho de arroz recheado com guariroba e cream cheese. O segredo pra desvendar de onde é o petisco é a Guariroba, ou Gueroba, como é mais chamado por lá, um dos ingredientes mais goianos de todos e que volta e meia tá pelas receitas!

Foto @tatimendes

18809111_1932081433702754_3189031767243751424_n

Foto @donadecasinha

domcirus

Já o petisco do Quiosque Beer, de Manaus, é o Canoa de Piracuí (esse tava fácil, vai!). E não tem só um ingrediente nessa receita que é a cara de Manuas, mas vários: essas canoinhas são de Piracuí, recheadas com molho de acaçá e vinagrete de tucumã, acompanha pimenta de arubé. Sensacional!

Foto @jeinnyliss_paixao

22280869_695445777332096_3591841846399074304_n

E aí, bora pro buteco comemorar?! 

 

Vem descobrir o que tem na cestinha do Spettus bar e aprenda a receita

Melhor dia do universo: aquele que a gente traz as receitas dos petiscos que passaram pelo Comida di Buteco! E hoje a gente trouxe um muito pedido e elogiado nas redes sociais, o Cabotia Quero mais”, do Spettus Bar, de Ribeirão Preto.

Sim, o Spettus foi duas vezes campeão do Comida di Buteco, o que confirma que fazer esse petisco em casa é certeza de sucesso e satisfação.

E a pergunta que não quer calar: qual é o recheio que te recheia?! :P

É purê de cabotiã, catupiry e carne desfiada com milho. Como se não bastasse, as cestinhas também são cobertas com queijo mussarela, parmesão, orégano, alho triturado e gergelim.

Sacanagem é você não testar essa receita em casa, com todo o passo a passo, descrito pelo próprio pessoal do Spettus Bar!

Segundo o dono do buteco, parte dessa receita já era sucesso na casa dele, e na verdade era um escondidinho de cabotiã. Obviamente, todo mundo por lá amava e então ele decidiu adaptar para as cestinhas de pastel, porque assim poderia servir como petisco – sacada ótima! E isso acabou melhorando ainda mais o prato, porque além do sabor do recheio do escondidinho, ele também tem crocância!

Foto da EPTV

5904629_x720

Bom, vamos com a mão à massa. Separe os ingredientes:

 

Carne  maçã da paleta 500 grs

Purê de abobora cabotiã 500 grs

Mussarela 300 grs

Catupiry 300 grs

Milho

gergelim

Alho triturado

Massa de pastel

 

Modo de Preparo (atividade e tempo):  

1 hr para preparar a carne e o purê mas 20 min para montar e gratinar.

Cozinhar a carne ,desfiar e refogar ,alho cebola, tomate ,milho e salsa

Cozinhar a cabotiã ,espremer e refogar com creme de leite , assar as

cestinha de massa de pastel e rechear.

Catupiry, purê , carne refogada, mussarela polvilhar com parmesão , orégano , gergelim ,e alho triturado levar ao forno pré aquecido para gratinar.

 

Tempo de preparo:  deixando o purê e carne prontas o preparo do petisco 20 minutos

Receita rende quantas porções?  2 porções

 

Aproveite, faça em casa e depois posta no Instagram marcando a gente!

Petisco delícia pra fazer em casa, do buteco Clã Destino!

Contando ninguém acredita, mas, desde que a edição do Comida di Buteco 2017 acabou, nós estamos com o pé na estrada, batendo de buteco em buteco e garimpando muito bem para encontrar butecos como esse que vamos falar hoje!

Não é tarefa fácil: esse Brasil é grande demais e tem muito buteco bom, com muita receita sensacional que o país todo precisa conhecer.

Por isso também que tem muito buteco que nem sobe no pódio, mas não quer dizer nada: apenas que a competição foi acirrada demais e que o pódio tem um limite de colocados, caso contrário, subia todo mundo!

Bom, e porque estamos falando isso? Porque entre os achados de 2017, está o Clã Destino, um buteco localizado em SP, que participou pela primeira vez do Comida di Buteco e já chegou com os 2 pés na porta apresentando uma receita que, sinceramente, o Brasil todo PRECISA provar.

Para essa edição, eles criaram o Clã de Panela, um mix de cereais (arroz cateto e cevadinha) com costela e lombo defumados, bacon e torresmo clã destino´s temperado com delicioso tempero da casa.

Sim, esse mesmo que um belo dia eles decidiram fazer ali, bem na porta do buteco, como mostra esse vídeo:

Mas, como nem todo mundo é de SP e não é todo dia que a gente pode sair assim da nossa cidade, decidimos que vocês mereciam aprender a fazer em casa!

Ah, um detalhe muito legal do Clã Destino e que também vale muito a pena ser dito, é que apesar do pouco tempo de existência, eles fazem questão de produzir artesanalmente praticamente tudo o que é utilizado para fazer os petiscos vendidos lá. Então, mesmo que você faça em casa essa delícia, agende uma visitinha quando possível for ao Clã Destino!

Agora, bora salvar a receita e tentar hoje mesmo:

Ingredientes (quantidade e tipo):

2kg Contra filé de sol (produção própria)

240g Manteiga de garrafa

600g Cebola roxa julienne

1 maço Cebolinha ciseler

1 maço Coentro ciseler

Q/B Tempero ClãDestino

2kg Mandioca cozida

500g Nata

1kg Queijo coalho

400g Mandioca palha

Q/B Sal

Q/B pimenta do reino

400g jiló macedoine

200g cebola brunoise

200g tomate concassé

Q/B salsa ciseler

Q/B coentro ciseler

50ml suco de limão cravo

100ml azeite

 Modo de Preparo (atividade e tempo):

Cozinhar a mandioca até ficar macia.

Colocar um pouco de nata e temperar com sal

Voltar a mandioca para o fogo até chegar no ponto cremoso e a nata incorporar.

Reservar.

Aquecer a frigideira e colocar manteiga de garrafa, grelhar a carne.

Adicionar a cebola em julienne e saltear rapidamente.

Juntar ao refogado de cebola, cebolinha e coentro.

Finalizar com tempero ClãDestino.

Montagem:

Dispor a mandioca cremosa no prato e colocar queijo coalho e levar para tostar.

Sobrepor a mandioca com a carne grelhada e refogado de cebola.

Finalizar com ervas picadas e mandioca palha.

Acompanhar com vinagrete de jiló.

22157276_149134095688281_3809146996640448512_n

Motivos para turistar pelo Brasil: a comida brasileira

Você tem milhares de motivos para por sua mochila nas costas e sair pelo Brasil, mas, se você ainda não se convenceu, trouxemos a cartada final: a comida brasileira.

Saiu na Espanha, recentemente, uma pesquisa que afirma que a gastronomia é o 3º motivo que mais leva as pessoas a viajarem para determinado lugar. Os dois primeiros motivos são a “cultura” e a “natureza”.

Em todo lugar a gastronomia tem muito a ver com a cultura da região, mas, aqui no Brasil elas são bem íntimas MESMO. Por isso, se você ainda não conhece uma dessas cidades, preparamos um motivo pra coloca-las em sua reta, aproveitando que hoje é o Dia Mundial do Turismo!

O Comida di Buteco acontece de ponta a ponta do Brasil e, se pudéssemos, ficaríamos por horas  falando de cada cidade. Hoje vamos de ponta a ponta passando por algumas, de Belém a Porto Algre!

Começando por Belém, que foi considerado o destino turístico mais bem avaliado por quem visitou o Brasil em 2016 e nem é a toa: Belém também já foi eleita a Cidade Criativa na Gastronomia pela Unesco, como bem falamos aqui. E, nesse ano, pintou pela cidade vários novos petiscos, do qual vamos destacar um, de um buteco super descolado. Visite Belém e dê as caras no Composição Arte & Bar para experimentar o Dourada Pipocante, essa isca de dourada, empanada no milho de pipoca e servido no molho picante com pimenta dedo de moça.

17882831_700265623515193_6093776067162537984_n

Agora, lá em Goiânia, assim como em BH, o discurso é que já que não tem mar, a gente vai pro bar. Então, o negócio butequeiro é levado muito a sério lá. Tanto é que, nesse ano, fomos homenageados na Assembleia Legislativa por alavancar vários negócios e incrementar o turismo local! Foi uma honra gigante, mas o mérito real é desses butecos todos que fazem bonito demais.

Além de tudo, você precisa passar lá não só para turistar pelos butecos e conhecer a culinária desse povo, mas também pra ter o prazer de experimentar esse petisco que é praticamente uma atração: o Lombo Embriagado, do Casa da Dona Clara Bistrô! Ele foi um baita sucesso na época do concurso, porque chegava à mesa de um jeito bem peculiar:

18445092_294116117713334_6065501971035455488_n

Agora uma novidade pra quem ama a vida butequeira e adora agregar conhecimentos sobre o assunto: você sabia que Ribeirão Preto é considerada a Capital do Chopp? Sim, a nossa “California Brasileira” é muito famosa pelas cervejarias artesanais e pelo tour cervejeiro que dá pra fazer lá! E é claro que, quando for viajar pra lá, passe pelos butecos do Comida di Buteco, muito bem selecionados pra você acompanhar sua cervejinha com o melhor que a gastronomia local pode te oferecer! Se quer uma dica, passa no Spettus Bar, campeão do Comida di Buteco 2017, e experimenta o petisco Cabô Tia Quero Mais. Há registros de butequeiros dizendo que essa é a oitava maravilha do mundo:

18252712_442383952781700_7405506783562694656_n

E, pra finalizar, e indo lá para a outra ponta do mapa, Porto Alegre! Lá, gastronomia é tão variada quanto em todo o Brasil, mas há uma certa tradição em se ter a maioria dos pratos feitos com carne! Mas, para fugir do muito tradicional, esse pessoal do buteco Mariu’s preparou-a de um jeito diferente: as Bruschettas Portuguesas, um petisco de carne de panela desfiada, acompanhada de fatias de pão e cebolas caramelizadas. Simplesmente incrível!

17882956_234425520295224_1249722667230035968_n

E você, se fosse indicar algo aí na sua cidade, pra galera de outras regiões, o que indicaria,  que COM CERTEZA seria aprovado?

Cacetinho do Sat’s pra fazer em casa!

Pra começar, o primeiro tópico: é carne maluca ou carne louca? Como esse sandubinha sensacional é chamado na sua cidade? Ou será que tem outro nome?

Em segundo lugar, gostaríamos de salientar o coringa que ele é. Não precisa de muito, não precisa ter ocasião especial, e mata a fome de todo mundo. Todo dia é dia de um sanduíche desses.

Inclusive, essa é uma das maravilhas criadas por alguém no mundo e que a gente abrasileirou tão bem. E pra mostrar que ela tem diversas facetas, o pessoal do buteco Galeto Sat’s, do RJ, criou um sanduíche que você vai adorar fazer em casa: o Cacetinho do Sat’s, que são sanduíches com carne de músculo assado e desfiado, e o molho é de cerveja preta!

Bem a cara do buteco, do brasileiro e da nossa fome!

Portanto, bora salvar essa receitinha digna de buteco pra você fazer hoje mesmo ou lá no final de semana, pra servir pra galera!

cacetinho-do-sats-comida-di-buteco

De acordo com as próprias palavras do pessoal do Galeto Sat’s, “o músculo é limpo de toda a gordura, temperado secretamente, refogado e mergulhado na cerveja, onde cozinha sem pressa soltando seu próprio molho no pão nosso de cada dia. E o que dizer da mostarda artesanal agridoce, feita em casa pela dona Elaine?”

Não sabemos dizer, só sentir. Portanto, o vídeo com a receita e o passo a passo tá aí, explicados por eles próprios!

Depois conta pra gente se deu certo! Bom apetite!

Pra fazer em casa: Torresmão do Matuto Bar

Lá em Goiás, o Comida di Buteco é bem pegado! Quem frequenta buteco por lá, especialmente na época do concurso, sabe bem!

São 5 butecos escolhidos para subir ao pódio, todos de uma forma bem merecida. Mas, a gente garante: se pudesse, subia mais, e vocês vão concordar, só por causa desse prato aqui que a gente trouxe hoje!

Quem acha que torresmo e buteco tem tudo a ver, tá certo! Tem mesmo! E lá no Matuto Bar, a escolha de petisco concorrente foi justamente esse torresmo… ou melhor, o TORRESMÃO do Matuto!

18013883_401709716880958_4290184562153095168_n

Eles garantem que para um torresmo ser considerado torresmo, em que ter as famosas 3 camadas, senão, é melhor desconfiar!

Então, eles deram a honra demostrar como fazer em casa essa tira de torresmo, com creme de milho picante. Pega o vídeo, com a galera do próprio Matuto Bar contando tudo, e os ingredientes estão logo abaixo!

Ingredientes:

1kg de barriga de porco

Sal a gosto

1 cebola

1 clho picado

Leite

200ml de creme de leite

1 caixa de manteiga

Óleo de soja

6 espigas de milho

Pimenta dedo de moça

Pimenta de cheiro

2 limões

Modo de Preparo:

Para o torresmo, cortar a barriga em tiras largas e compridas, mais ou menos 20×3 cm. Temperar com sal e limão e deixar descansar por uns 10 minutos. Fritar em óleo de soja a 180 graus até que fique bem dourado e crocante. Deixar escorrer bem.

Para fazer o creme, é necessário debulhar o milho. Processar metade no liquidificador com leite e coar. Processar a outra metade do milho com leite porém não coar.

Cortar e bater a cebola e o alho. Cortar bem pequeno as pimentas e reservar. Refogar a cebola, alho e pimentas na manteiga até ficar transparente. Entrar com todo o creme de milho. Cozinhar e mexer por uns 25 minutos até eliminar o sabor de amido. Ajustar o sal e finalizar com creme de leite. Na hora de servir adicionar raspas de limão.

 

Para comemorar, 7 curiosidades sobre a Cachaça!

Quando se fala em transformação de vida, tendo os butecos como principais ferramentas, é com a gente mesmo!

Nosso forte é a comida, mas, há alguns anos, outro elemento, que já faz parte da história do Brasil, tem se saído muito nobre por essa luta pela independência também butequeira: a CACHAÇA! Sim, a própria, que já falamos aqui na semana passada.

cachaça1

Acontece que, nos últimos anos, a cachaça tem dado a volta por cima e crescido de forma muito expressiva no mercado, ajudando cada buteco e negócio familiar. É um combo de respeito: comida raíz, com receitas familiares, e a boa e velha cachaça!

É por isso que, a cada ano, o buteco tem se tornado uma figura das mais típicas representantes da cultura brasileira!

O Dia Nacional  da Cachaça surgiu em 2009, em BH! Ela é a 3ª bebida destilada mais vendida do mundo e a 2ª bebida mais vendida no Brasil, perdendo apenas para a cerveja.

Por isso, para comemorar, o pessoal doO Povo Online reuniu 7 curiosidades sobre a cachaça que, muito provavelmente, você não conhecia.

Bora tomar nota:

1 – Fica no Ceará,em Maranguape, o maior barril de cachaça do mundo! Isso está registrado no Guinness Book, porque aqui a cachaça é coisa séria!

2 – Como já dissemos aqui, a cachaça é o símbolo da independência brasileira!

3 – É muito importante que se mantenha a umidade alta no local onde a cachaça é envelhecida, afinal, isso influencia na qualidade!

4 – É a Alemanha que mais importa nossa cachacinha! Na sequência vem os Estados Unidos.

5 – A maior parte dos barris existentes no Brasil são provenientes da Escócia.

6 – Pelos registros butequeiros, foi em 1516 que montaram o primeiro engenho, lá em Pernambuco.

7 – Acredita-se que a palavra cachaça tenha vindo de cachaza, nome espanhol dado ao vinho de borra.

 

E aí, qual dessas você sabia?!

Depois dessa abastecida no assunto, a gente já pode partir pro buteco, pra comemorar com um cachacinha, como manda o figurino!